Imprensa

Notícias

Economia

ZFM e as perspectivas para 2023

Por Antônio Silva

3 de janeiro de 2023 às 14:01 Compartilhe

Foto: Adneison Severiano

O Polo Industrial de Manaus (PIM) se fez mais forte diante dos obstáculos, que atingiram sobretudo os setores de eletroeletrônicos, duas rodas, informática e concentrados de refrigerantes. Ao final de 2022, as indústrias alcançaram resultados bastante satisfatórios, que demonstram o comportamento positivo e a resiliência da indústria local.

 

A Federação das Indústrias do Estado do Amazonas (FIEAM) prevê que o faturamento anual da indústria vai ultrapassar o de 2021 em 10,42%, quando calculado em reais, ao atingir um valor projetado de R$ 179,837 bilhões. Quando feito o cálculo em dólar, a previsão é de US$ 34,710 bilhões, maior que o ano passado em 15,06%.

 

Em relação à mão de obra, devemos fechar o ano com crescimento ao redor de 3,32% em relação à média do ano anterior, com 112.961 empregos.

 

Seis subsetores se destacaram, pela ordem: Bens de informática (faturamento em real de R$ 51,5ó bilhões, crescimento de 13,87%; em dólar US$ 10,05 bilhões, com alta de 19,93%), Eletroeletrônico (faturamento em real de R$ 33,83 bilhões, crescimento de 0,77%; em dólar US$ ó,54 bilhões, com alta de 5,14%), Duas Rodas (faturamento em real de R$ 27,05 bilhões, crescimento de 34,85%; em dólar US$ 5,26 bilhões, com alta de 41,02%), Químico (faturamento em real de R$ 15,71 bilhões, crescimento de 18,48%), Termoplástico (faturamento em real de R$ 15,71 bilhões, crescimento de 18,48%) e Metalúrgico (faturamento em real de R$ 13,79 bilhões, crescimento de 2,99%; em dólar US$ 2,68 bilhões, com alta de 7,63%).

 

Pelas nossas estimativas, o subsetor de maior faturamento este ano será o de Bens de Informática e o de maior percentual de crescimento: de Duas Rodas. O único subsetor a apresentar redução no seu faturamento será o Mecânico faturamento em real de R$ 10,12 bilhões, redução de (-) 20,13%; em dólar US$ 1,95 bilhões, queda de (-) 22,92%.

 

As exportações anuais devem crescer 38,34%, com US$ ó26,0ó milhões, enquanto as importações totalizarão cerca de US$ 13,223 bilhões, e crescimento de 5,84%.

 

A economia não é uma ciência exata, portanto fica muito difícil uma previsão confiável, contudo mostra alguns sinais preocupantes. Um deles é a expectativa de uma possível recessão global. O conflito entre Rússia e Ucrânia não tem data para terminar e a inflação ainda consome a renda de pessoas em vários países.

 

O ano de 2023 será desafiador pelos grandes problemas macroeconômicos que enfrentaremos, a projeção que se faz é de baixo crescimento do PIB, cogitado em 1,2%. A taxa de juros está sendo projetada em 11,75% ao ano para combater o processo inflacionário, que se estima acima de 5% durante todo o ano. Embora alguns economistas estimem queda da inflação para 4,2%, à medida que os efeitos dos preços mais altos da energia e dos alimentos diminuírem.

 

Na verdade, tudo é projeção. Não obstante, deveremos estar vigilantes para as modificações que poderão vir com a reforma tributária, que poderão afetar negativamente a ZFM e tirar-nos as vantagens fiscais constitucionais a que temos direito.

 

Destaco a união de todas as forças atuantes na defesa dos interesses do Amazonas, como a Suframa, Governo do Estado, Prefeitura Municipal, os nossos representantes legislativos nas bancadas federal, estadual e municipal, bem como o apoio das demais coirmãs do setor produtivo, empresários e trabalhadores. Sem a participação efetiva dessas forças, não lograremos êxito em várias questões de suma importância para a economia do Amazonas e para melhoria de vida de toda a população.

Buscar

Compartilhe

ZFM e as perspectivas para 2023

Guia de Associados