Imprensa

Notícias

Reunião

Turismo e Segurança pública foram debatidos em reunião na Associação Comercial do Amazonas

7 de julho de 2022 às 13:48 Compartilhe

Por Karina Ramos

Supervisão e Edição: Paulo Couto

07/07/2022 11h48

Empresários, entidades de classe e representantes do poder público participaram do encontro. Foto: Karina Ramos/ACA

Empresários, entidades de classe e representantes do poder público participaram do encontro. Foto: Karina Ramos/ACA

A incidência de roubos e furtos afetam o ambiente de negócios da cidade, sobretudo as empresas voltadas para o turismo. Por esse motivo, na manhã desta quarta-feira (05/07), foi realizada na sede da Associação Comercial do Amazonas – ACA, uma reunião para discutir a segurança pública em Manaus. O encontro que contou com a presença de empresários, entidades de classe e representantes do poder público municipal e estadual,  foi organizado pelo diretor de Comércio, Turismo e Serviços da ACA, Ricardo Daniel Pedroso:

Ricardo Daniel Pedroso, Diretor de Comércio, Turismo e Serviços da Associação Comercial do Amazonas. Foto: Karina Ramos/ACA

“Todos nós sabemos que a dificuldade econômica do país, das cidades, é muito grande, que a gente tem um aumento de criminalidade e isso nos preocupa muito, quanto comércio, turismo e serviço. Buscamos então a união desse povo que chegou aqui, conversou de peito aberto contando os seus problemas, e contando também as ações que já estão sendo feitas. Felizmente o grupo é coeso, chegamos a grandes conclusões e já programamos outra reunião para alinhar os nossos próximos passos, sempre visando o aumento da segurança para o morador de Manaus e consequentemente para os nossos turistas que nos visitam”, finalizou Pedroso.

Lúcio Bezerra, presidente da Associação dos Flutuantes do Tarumã – AFLUTA, Rodrigo Zamperlini, presidente da ABRASEL e Matheus Andrade, Vice-presidente do Amazonas Cluster de Turismo,  pediram o aumento do policiamento ostensivo nos arredores do centro de Manaus e na região do Tarumã, pois  nesses locais os roubos e furtos são frequentes. Eles enfatizaram que a presença policial é essencial para dar maior segurança para funcionários, turistas e principalmente para os manauaras.

A Diretora de Turismo da ManausCult, Oreni Braga, ressaltou que a criminalidade no centro histórico está ligada à um problema social:

“Eu sempre tenho colocado que o problema no centro histórico de Manaus, é muito mais social do que de segurança. O Centro Histórico foi repovoado por uma população abaixo da linha da pobreza. 

O vereador William Alemão, sugeriu que o serviço de Wi-fi em praças públicas da cidade, o que permitiria o monitoramento dos usuários e auxiliaria na segurança pública: 

“Você tendo um roteador hoje numa praça, você consegue acesso a todo mundo que acessou o WI-FI. Essa é uma idéia que foi implantada em outros países dentro do transporte público e em alguns outros locais dentro de praças”

Em resposta às solicitações realizadas pelo grupo, o Coronel Almir Cavalcante, Secretário Adjunto de Planejamento e Gestão Integrada de Segurança da Secretaria de Estado e Segurança Pública – SEAGI/SSP-AM, disse que a “ Secretaria de Segurança Pública tem algumas atividades no centro da cidade com frequência”, e convidou os presentes para que participassem de uma alinhamento com os demais representantes da pasta para pontuar algumas ações. Cavalcante disse ainda,  que estão sendo adquiridas lanchas para fiscalização na região do Tarumã, e que o batalhão ambiental realiza o patrulhamento regularmente no local, trabalho que deve ser intensificado em breve, visto que estão sendo adquiridas 5 novas lanchas. Além disso, comentou ainda que o Centro Integrado de Comando e Controle – CICC está com o  “Projeto Paredão”, que conta com  500 câmeras inteligentes distribuídas na cidade para monitoramento da capital, em pleno funcionamento.

Já o coronel Marcos Brandão da Cunha, Secretário Executivo do Gabinete de Gestão Integrada Municipal informou que a guarda municipal está em processo de modernização para reforçar a segurança da capital, onde já há um projeto para armar a guarda municipal.Brandão explicou que 65 guardas municipais já foram capacitados para utilização de arma de fogo e outra parte do efetivo deve ser treinado para o uso de armas não letais. 

A previsão é que o grupo se encontre novamente no mês de setembro para dar continuidade às discussões.

 

Por Karina Ramos

Supervisão e Edição: Paulo Couto

Buscar

Compartilhe

Turismo e Segurança pública foram debatidos em reunião na Associação Comercial do Amazonas

Guia de Associados