Imprensa

Histórias e Lendas do Amazonas

Turismo

Estádios de futebol no Amazonas – Interior

Por Paulo Almeida Filho

25 de novembro de 2022 às 15:50 Compartilhe

Estádio Floro Municipal Rebelo de Mendonça – Itacoatiara

O Estádio Floro Municipal Rebelo de Mendonça, mais conhecido como Floro de Mendonça e também como Florão, é um estádio de futebol localizado no município de Itacoatiara, Amazonas. O estádio fora inaugurado na década de 60 com o nome de “Estádio José Mendes”. Na época, para atender o futebol amador da cidade e volta e meia clubes da capital, e até mesmo grandes clubes do país como Flamengo e Vasco da Gama.

Existindo informalmente como um campo de futebol desde meados da década de 60, o estádio foi inaugurado oficialmente em 31 de janeiro de 1971. Para isso foi realizado um evento que parou a cidade, trazendo a dupla Rio Negro e Nacional para o jogo principal. A 1ª Reinauguração – Novamente o estádio passou por melhorias, e, desta vez mudou seu nome para o atual, na data de 29 de Março de 1981. Na ocasião foi realizado um amistoso entre a Seleção da Liga de Itacoatiara e o Vasco da Gama, do Rio de Janeiro, vencendo o visitante por 2×0. Apesar das reformas em 2011, no ano de 2021 (menos de 10 anos depois) o Penarol deixou de mandar partidas noturnas no estádio, pelas rodadas finais da primeira fase da Série D porque a CBF considerou a iluminação do estádio insuficiente.

Maior Público – No ano de 2007 o Fast Clube estava disputando a Série C pelo segundo ano seguido, sediado na cidade e naquele ano chegou até a terceira fase, onde enfrentou o tradicional Bahia no Floro de Mendonça. O jogo terminou empatado em 2×2 para um público de 6.350 pagantes e cerca de 8.000 presentes. Formato atual – O estádio consiste em um lance de arquibancada maior, numa das laterais do campo, onde se situa a torcida mandante. Acima dessa arquibancada está a cabine da imprensa. Há mais dois lances menores atrás de um dos gols, com intervalo de alguns metros entre si, onde fica a torcida visitante. Na outra lateral encontra-se apenas o muro que dá para a avenida de seu acesso. Atrás do outro gol encontra-se um prédio administrativo do estádio, de dois andares, sendo que no superior há uma pista com duas fileiras de cadeiras para torcedores.

 

 

Estádio Francisco Garcia – Rio Preto da Eva

O Estádio Francisco Garcia, mais conhecido como Chicão, é um estádio de futebol sediado no município de Rio Preto da Eva, Amazonas. Em 2007 a Federação Amazonense de Futebol anunciou o retorno do Campeonato Amazonense de Futebol – Segunda Divisão, e isso criou movimentação em Rio Preto da Eva para ter seu clube profissional. Com isso, o município passou a ter um representante oficial: o Holanda. Por conta do clube, o estádio chegou a ser chamado de “Laranjão”. O estádio foi inaugurado em 25 de Novembro de 2007 com jogo do Holanda enfrentando o CEPE Iranduba valendo pelo Campeonato Amazonense de Futebol de 2007 – Segunda Divisão. O jogo foi válido pela 3ª rodada do segundo turno da competição e foi vencido pelos visitantes pelo placar de 1×0. Além do Holanda(clube que é oficialmente o representante de Rio Preto da Eva) outras duas agremiações já assumiram o papel de mandante do estádio: 1) Compensão – em 2010, na sua única participação na primeira divisão estadual, o clube de Manaus mandou suas partidas no “Chicão”. Naquela temporada o estádio chegou a sediar partidas de
outras equipes de Manaus, como o jogo da semifinal da Taça Cidade de Manaus com o São Raimundo de mandante. 2) América – ainda em 2010 o estádio ganhou protagonismo no futebol amazonense, por conta da demolição dos principais estádios de Manaus.

 

O América, que representava o estado no Campeonato Brasileiro de Futebol de 2010 – Série D optou por jogar em Rio Preto da Eva seus jogos da primeira fase. Atuando na cidade, o rubro de Manaus venceu o Cristal do Amapá por 3×1 e empatou em 1×1 com o Clube do Remo e 0x0 com o Cametá (ambos do Pará). Naquele ano o América se tornou o primeiro clube amazonense a disputar uma final de Série D (posteriormente, por questões extracampo, acabou perdendo seu vice-campeonato e o acesso).

Estádio Olímpico Municipal Gilberto Mestrinho – Manacapuru

O Estádio Olímpico Municipal Gilberto Mestrinho, conhecido como Gilbertão, é um estádio de futebol localizado na cidade de Manacapuru, na Região Metropolitana de Manaus, estado do Amazonas. Atualmente é um dos maiores estádios de futebol do estado do Amazonas.

O estádio atende aos clubes profissionais Princesa do Solimões Esporte Clube e Operário Esporte Clube que disputam o Campeonato Amazonense de futebol, além da seleção municipal e do campeonato amador de futebol da cidade. Sua capacidade é de 15.000 pessoas. O nome do estádio é uma homenagem ao ex-governador Gilberto Mestrinho. O estádio já recebeu muitos públicos acima de 7 mil pessoas, inclusive, nos anos 80, quando o município era muito menos populoso, principalmente quando o Princesa enfrentava os gigantes de Manaus, Nacional e Rio Negro, onde os públicos raramente eram menores que 5 mil pagantes, isso num município que na época tinha cerca de 40 mil habitantes. Atualmente o estádio é pintado nas cores vermelho e branco. O primeiro gol no Gilbertão foi por Antônio de Souza Ferreira, um jogador da zona rural de Manacapuru, sendo o primeiro desta a ser convocado.

Estádio Flávia Blante de Oliveira – Manicoré

Tem poucas informações sobre este estádio na internet.

Estádio Ivanoel Nogueira – Nova Olinda do Norte

 

Nova Olinda do Norte rende homenagem no futebol a Ivanoel Nogueira. Campo do Castanheiras Solitárias, da época do petróleo no município, agora reconhece dedicação de Ivanoel Nogueira ao futebol e à juventude nova-olindense.

Os ventos do progresso que sopraram com a descoberta de petróleo nos últimos anos 50, levaram Ivanoel Nogueira e sua eterna companheira Gerarda ao encontro com o destino nas margens do rio Madeira. Corria a década de 60 e o povoado de Nova Olinda do Norte dava os primeiros passos a partir da base da Petrobrás, uma minicidade criada para abrigar toda a estrutura de pessoal para exploração do ouro negro que jorrava abundantemente naquela paragem. Seu Ivanoel, com o vigor de um quarentão criado com a fartura da vida ribeirinha, aproveitou o legado da paixão pelo futebol dos operários da Petrobrás para incentivar o desenvolvimento do esporte. Vários times surgiram e logo surgiu uma liga local. Dentre eles, Ivanoel fez do azulino Juventus Atlético Clube sua paixão e ponte para usar o futebol muito além do simples lazer. Entre os anos 70 e 80, a prática do jogo, ao mesmo tempo em que revelava muitos talentos, também propiciava que muitos jovens encontrassem um rumo na vida. E o Castanheiras Solitárias era o palco a testemunhar toda essa dedicação de Ivanoel, e outros, ao futebol. A ponto de a beirada do campo nas tardes de domingo se tornar local obrigatório do encontro não só de homens, mas de muitas famílias nova-olindenses. Além da torcida do Juventus, estavam lá as de outros times, como Manutenção, Santa Luzia. E a do Municipal, o eterno rival que Ivanoel tinha mais prazer em enfrentar. E foram muitas as disputas acirradas. Nos anos 70, com os tradicionais clubes do Amazonas em alta, o Castanheiras Solitárias recebeu o forte esquadrão do Fast Clube para uma partida contra selecionado da cidade. Outros fatos relevantes contados pelos moradores são o campo ter tido, por conta da presença da Petrobrás, das primeiras traves de ferro do Brasil. A maioria, país afora, era de madeira; e o gol por cobertura feito pelo atacante Queiroz, do Municipal, do meio-de-campo, no goleiro Zé Mário, do Penarol de Itacoatiara. “É aquele gol que nem Pelé fez”, costumam dizer os boleiros.

Estádio João Benvindo de Souza – Tefé

Tem poucas informações sobre este estádio na internet.

Estádio José Rosquildes – Coari

O Estádio Municipal José Rosquildes, mais conhecido como Coarizão, distante a 360 km da capital do Amazonas, é o estádio municipal de Coari e sua capacidade é de 10.000 pessoas. Ele é usado pelos clubes amadores e profissionais de Coari e o principal deles é o Grêmio Atlético Coariense. Em 2007, a Prefeitura de Coari transformou parte do Estádio José Rosquildes, em um cemitério. O Grêmio Coariense precisava apenas do empate, o São Raimundo tinha a obrigação de vencer – nos minutos finais havia muita tensão, o Tufão pressionava, o torcedor segurava a respiração, cada minuto parecia uma eternidade, até que o arbitro Washington José Alves, apita o fim da partida, o grito de ”É CAMPEÃO”, sai da garganta do torcedor, o Grêmio Coariense era Campeão do primeiro turno e conseguia a vaga para a final do Campeonato Amazonense. Um ano depois, o Grêmio se sagraria o primeiro clube do interior campeão estadual do Barezão.

Estádio Municipal Afonso Jacob de Souza – Careiro

O estádio mais bonito do Brasil tem nome: é o AFONSÃO, culpa da geografia única do estádio Afonso Jacob de Souza, no município do Careiro Castanho, no Amazonas, distante de 100 km de Manaus.

Estádio Municipal Arlindo Braz da Silva – Humaitá

 

O Estádio Municipal Arlindo Braz da Silva é o estádio municipal da cidade de Humaitá e serve as equipes amadoras e profissionais da cidade, sendo que a principal delas era o Grêmio Esportivo Humaitá, em 2020 sediou um time de outro estado o Genus para a disputa do Campeonato Rondoniense de futebol de 2020.

O estádio pertence a Prefeitura de Humaitá e foi construído em 1964. Seu nome homenageia Arlindo Braz da Silva, o ex-jogador do estado do Amazonas morto em 2016. O primeiro jogo da equipe do Genus de Rondônia registrado no estádio foi contra a equipe do Guajará válido pela primeira rodada do Campeonato Rondoniense de 2020.

 

Estádio Municipal Gerdilson Bentes de Souza – Borba

O Estádio Gerdilson Bentes, também conhecido como Jabortão, é um estádio de futebol localizado na cidade de Borba, no estado do Amazonas. Inaugurado na década de 1990 com o nome Waldemar Duarte, passou por uma reforma e ampliação em 2012 e foi reinaugurado com o nome atual em homenagem a um notório desportista da cidade morto naquele ano. Sua capacidade é de 4.000 pessoas sentadas. O Clube Nacional Borbense manda seus jogos no Jabortão.

Estádio Municipal João Caldas dos Santos– Maraã

Estádio Municipal Pedro Falabella – Urucará

 Estádio Municipal Tupy Catanhede – Parintins

Em Parintins, nem só de boi bumbá se vive na Ilha Tupinambarana. Nos gramados do estádio Tupy Catanhede, a bola rola do jeito que a galera gosta. Há mais de 70 anos no maior clássico de futebol do interior do estado. Ainda nos dias de hoje o confronto não perde a essência no clássico Sul América x Amazonas. O povão ainda comparece ao Tupizão. Faça chuva ou faça sol, o clássico parintinense de números incontáveis dos duelos, reflete no esporte bretão do Amazonas o que é ser raiz e ter amor a camisa. No ano de 2012, especulou-se a profissionalização das duas equipes para jogar pela primeira vez o Campeonato Amazonense de Futebol. Os dirigentes de Amazonas e Sul América apresentarem durante entrevista, alguns pontos sobre a possibilidade de tornar os clubes profissionais. Para nós participarmos e podermos profissionalizar é necessário ter apoio financeiro. Em Parintins não temos patrocínio que posso nos dar suporte para ir a Manaus disputar o Barezão. Na mesma época da fundação de Sul América e Amazonas, surgiu a Liga Parintinense de Futebol para organizar o popular Parintinzão no ano de 1948. Os dois clubes também enfrentaram clubes profissionais com destaque para o empate de 2 x 2 entre o Sulanca e Botafogo/RJ em pleno Tupizão em 1987. Até mesmo o gênio das pernas tortas e craque da seleção brasileira atuou pelos dois clubes no ano de 1973 durante uma excursão pelo pais. Garrincha jogou cada tempo em um clube e foi fundamental para a vitória do Amazonas no clássico. No ano de 2013, houve a reinauguração do estádio Tupi Catanhede com a partida entre Amazonas x Sul América que levaram o público histórico de mais de 10 mil pessoas, sendo considerado o maior de confrontos entre os clubes do interior do Amazonas.

Estádio Valdir Pereira e Silva – Barcelos

Tem poucas informações sobre este estádio na internet.

Estádio Municipal Tenente Álvaro Maranhão – Iranduba

Com um jogo inédito na rodada de abertura – Amazonas e Manauara, o Campeonato Amazonense de Futebol 2022 – o Barezão, terá jogos apenas à tarde. Os locais e horários foram divulgados pela FAF (Federação Amazonense de Futebol). Haverá partidas também no Estádio Tenente Álvaro Maranhão, em Iranduba (a 42 km de Manaus).
E em Iranduba, no Estádio Tenente Álvaro Maranhão serão realizadas 4 partidas. Os jogos em Itacoatiara e Iranduba começarão mais cedo, a partir das 15h. Tem poucas informações e fotos sobre este estádio na internet.

Estádio Valdomiro Gusmão de Aguiar – Manaquiri, não existe informações na internet

 

Se esqueci de citar algum Estádio de Futebol, em algum município do Amazonas, perdoe-me.

Espero que tenham gostado.

Paulo Almeida Filho – Inativo/Am
FONTE: Wikipédia, Google, FIBGE, FAF, GOOGLE EARTH,

 

Buscar

Compartilhe

Estádios de futebol no Amazonas – Interior

Guia de Associados